Seguidores

19 de agosto de 2010

Poesia: Nostalgia



NOSTALGIA

Num dia frio, comum....
Ouço uma pacífica música, familiar...
Então abro um bom livro
E leio algumas páginas...
Mas repentinamente...
Um doce e triste sentimento me toma por completo...
Vejo a chuva gelada caindo pela janela...
Gotas e gotas de pura nostalgia...
Me torno um velho à morte...
Triste e incompatível me sinto.

Minha vida então parece um abrupto fim
De uma doce e confortável sinfônia que ouvia...
Não há razão alguma que me salve.

Tudo que me resta é a solidão
E este livro em minhas mãos...
O Frio é o que pouco me desfoca da saudade,
A Tristeza, o inafastável...
O Pensamento, o inpensável,
E a Nostalgia, uma inocente lágrima perdida, sem volta.


.

18 de agosto de 2010




DIAS TRISTES
Os dias se tornam tristes...
Me relembro da vida que logo passa...
Então me ponho em silêncio novamente.

Palavra alguma poderia expressar.

Meu sorriso é a nuvem de um céu limpo,
A felicidade, minha sonolência
nesta grande cidade (impetuosa).

Não vejo pássaro algum nessa árvore sem sombras.
O vento me conspira à Justiça,
forte motivação de um pobre indefeso...

Mas se desfaz de qualquer maneira tudo que imagino...
E então, permaneço sentado, olhando para o chão,
neste vivo mar de pessoas normais.

17 de agosto de 2010




ALCANCE


Assisto quieto as estrelas, em silêncio,
tendo ao meu lado somente o vazio da escuridão...
Então tudo parece desaparecer, quaisquer outras estrelas
quando me foco em uma delas, a única que contemplo.
Logo penso na conquista... Nem sequer cheguei perto...
Não que não queira, não que tenha medo...
Nunca consegui te esquecer...
Mas parece como que o que busco é aquela velha estrela lá no céu,
nem tão perto que possa tocar ou longe que não possa vê-la,
somente em evidência, não ao meu alcance...


.


AMANHÃ

As pessoas andam sem pensar em um amanhã
nas ruas das Avenidas, que permanecem abarrotadas...
O Sol ilumina enquanto as borboletas voam...
Mas interruptamente,
Ouve-se o som da chuva que cae como uma cachoeira...
As pessoas correm pelo amanhã,
As Avenidas tornam-se então noturnas,
O Sol é agora oculto pelas nuvens,
E as borboletas seguem com o vento, sem amanhã.


.

Poesia: Lua Romântica



LUA ROMANTICA


As ruas estavam tenebrosas, sem vida alguma...
Os céus, insignificativos em si...
As casas, mortas pelo silêncio,
E a Lua retratava a solidão e o romance...
Então logo as luzes retornam a cidade.
As ruas iluminam novamente o caminho,
O céu se desvanece das estrelas...
As casas se tornam vivas novamente,
E a Lua permanece solitária, mas sempre romântica.


.
TODOS NÓS VIVEMOS AQUI (NO PLANETA TERRA)

Nós, os seres humanos somos hoje Bilhões...
Cada um de nós vive em busca de ideáis semelhantes;
O Sucesso, a Felicidade, o Amor, a Liberdade e Oportunidades...
Alguns de nós vivem e morrem por seus sonhos, embora outros sequer sonhem...
Com o passar do tempo alguns vão pensar, relativamente cedo ou tarde,
que a vida a qual vivemos não é o verdadeiro sinal de um propósito maior
e pouco se torna sagrada, em toda sua existência. Não é verdade.
O claro propósito da vida é sermos felizes...
As maiores chaves para (qualquer) o sucesso são a fé, perseverança e desempenho.
As chaves da felicidade são se amar e amar ao próximo, logo sendo amado, será feliz.
As chaves para o sonhado amor é o tentar e o buscar. Então seja feliz.
A principal chave para a liberdade é o reflexo de pensamentos de esperança e fé.
Quanto as Oportunidades... Fomos criados, aqui, agora. Você e eu temos a maior
oportunidade de todas, a oportunidade de viver livremente, um previlégio inestimável.
Alegre-se, você não está só, afinal, todos nós vivemos aqui no planeta Terra.

A BELEZA DO SORRISO

O sorisso é a beleza,
pura expressão da felicidade,
o sentir e o esquecer...
O Abraço, a despedida e comprimento,
demonstração de afeto,
saudação e carinho...
Sorria! Abrace o sorriso
e sorrie pelo abraçar.


Poesia: Sombra de um Horizonte...



SOMBRA DE UM HORIZONTE...

A Sombra ao meu lado permanece....
como uma velha e consequente profecia,
Meus pés trilham o futuro,
incerto sigo...Sem amor ou carinho à trocar...
Minhas mãos tocam suas sombras,
meus pés, cansados,
já não conseguem pisar mais este chão...
Cansado...
De seguir em busca do amor.
Mas meus olhos vêem...
Vêem o inevitável que se passa,
Um novo horizonte começa.


.

Poesia: Uma nova noite



UMA NOVA NOITE

Uma noite começa...
Nova noite, sem a luz dos postes,
A Noite em que posso sentir,
Noite essencial, um tanto abrupta...
Uma noite solitária para mim,
que desfruto de uma boa música
e de um velho papel com as estrelas...
Sem ter à quem amar,
Sem ter à quem sorrir,
Sem ter em quem apaixonadamente pensar,
Somente tendo em quem sonhar.


.

Frase: Grande Cidade (Provínciana)

GRANDE CIDADE (PROVINCIANA)


Neste lugar onde vivo
, uma grande cidade, cheia de diferenciais entre pessoas, mas que no entanto compõe poucas mentes filosóficas, ou de fato pensativas. Lugar este, onde poucos tem a capacidade de apreciar as semelhantes estrelas de uma noite escura, ou sequer as sequenciais e vastas nuvens do ceu de um lindo dia, tambem imperceptvel no que se compara aos seus respectivos problemas que os cegam, ou quase sempre, desfocam-os do verdadeiro olhar de um belo dia imposto na simplicidade do sol, que pode ser grandiosamente maravilhoso... Ou somente no som da Chuva sobre o telhado...



28 de julho de 2010

Poesia: Oceano de Ventos



OCEANO DE VENTOS


Como numa noite fria
Sobre a Sinfonia do Silencio...
Vejo as folhas que caem
de uma árvore cansada...
Olho para a escuridão do céu profundo...
Vejo as estrelas,
que brilham pulsantemente,
como uma declaração...
Ouço os aviões que passam perto...
E ouço os grilos inquietos,
...Solitários...
Logo, vejo nuvens sobre o (então) raso céu...
E sinto um Oceano de ventos
que vem sobre mim...
Inquietando a Sinfonia do Silêncio
e levando as folhas que restavam
daquela velha árvore...
Dissipando a escuridão do céu
e ocultando o brilho das estrelas,
juntamente com a declaracão
de grandeza do criador...
Os aviões encontram seus destinos...
E os grilos que são levados pelo vento
sem destino, encontram seus amores.


.

13 de abril de 2010

Poesia: O Amor



O AMOR


A mais exuberante sinfonia jamais criada...
Mais suave e doce do que o canto dos passaros ao amanhecer...
Mais especial do que o ceu azul, profundo e livre de nuvens...
Mais indispensavel do que a imensidão do límpido oceano...
O amor, que nos torna existentes...
O amor, que nos transforma...
O essencial amor...que tras sentido a vida humana.


.

11 de abril de 2010

Poesia: Um pleno momento feliz



UM PLENO MOMENTO FELIZ...


Enquanto os dias passam
continuo a pensar
nos eternos minutos
em que me rendi a total felicidade...
Continuo a pensar
em seus belos olhos, que me refletiam
em desejo de te ter...
No seu doce abraço,
que me trazia conforto e paz...
A plena alegria eternizada
em perfeitos minutos ao seu lado...
As flores dão origem a outras flores...
O tempo continua, jamais para ou volta...
As estrelas brilham, jamais descansam...
As nuvens se vão, mas sempre voltam
trazendo chuva para as flores...
O que eu sinto não poderia se comparar a nada,
Eu te Amo.


.

9 de abril de 2010

Poesia: Sem você

SEM VOCÊ

Ao olhar pelo caminho ao horizonte
e ver o Sol se transpondo,
E ao ver ao meu lado
apenas minha sombra,
que se vai logo ao anoitecer...
Penso em ti, como meu Sol...
que ilumina o adverso caminho
em que ando...
Sem você...
Seria consumido pela escuridão...
E estaria sozinho, em silêncio,
carregando comigo nada além
da tristeza de não te ter.




4 de abril de 2010

Poesia: Ruas Obscuras

RUAS OBSCURAS


Tristes ruas, sem cor...
Fadados caminhos ao insipido,
ao silencio se entregam e permanecem...
Sobre as Avenidas que florescem do amor,
as pessoas em seus continuos andares
veem o Sol que remanesce de um longo dia...
Do frio que se compoe pela manhã
ao constante som dos carros sobre a noite...
Ali estao...Ruas obscuras, sem poesia.



24 de março de 2010

Poesia: Como o amor...

COMO O AMOR...
Andando pelas ruas
a olhar as pessoas apressadas...
Ao ver em seus olhos
o reflexo de suas tristeza e magoas...
E em outras o sorriso pela alegria,
o reflexo de seus essencias motivos...
O amor...
Vejo a noite entao perceptivel...
Noite que lentamente cai
trazendo o brilho das estrelas...
Assim como o amor que nos aquece...
mesmo quando o sol já se pôs no Horizonte...





17 de março de 2010

Poesia: Minutos, dias, segundos e horas...

MINUTOS, DIAS, SEGUNDOS E HORAS...Os minutos se executam...
Os dias passam sempre interruptíveis...
Os segundos se discipam no consciente...
As horas são continuas previsívelmente,
E as horas trazem o pôr-do-sol...
Nos minutos ganhamos novas oportunidades...
Nos dias novos amores...
Nos segundos novos inspirares...
Nas horas novos lentos amanheceres,
E as horas trazem novos pensamentos.




13 de março de 2010

Poesia: Pesadelo Obscuro

PESADO OBSCURO
Num tenebroso, familiar e real lugar
em que sonhei nesta noite chuvosa...
Onde só existia solidão, medo e escuridão...
Em uma velha casa como das de campo...
Vejo a chuva pela janela...
Saio então pela porta e não vejo céu algum
nem sequem algo qualquer...
Então dou um passo na escuridão e caio...
Como num abismo, sempre sem fim...
Jamais atingo o chão inexistente, ate acordar.



11 de março de 2010

Poesia: Sobre o vidro

SOBRE O VIDRO
Olhando sobre o vidro transparente...
Vejo os abismos que rodeam esta estrada tenebrosa...
Olhando sobre o vidro transparente
vejo a cidade lá embaixo, profunda
como uma miniatura previsível...
Sobre o vidro vejo o reflexo do vasto céu
que se estende no Horizonte...
Olhando sobre o vidro...
transparente...



Poesia: Criação

CRIAÇÃO
Sobre o Universo extenso (talvez infinito)...
No oculto dos dias de céu azul e das nuvens
as estrelas brilham pulsantemente...
O sol ilumina, incansavelmente...
E enquanto as borboletas voam
o Arco-íris se releva....
E enquanto admirado vejo a criação
vejo também amor em cada toque de existencia.



Poesia: Sem o amor...

SEM O AMOR...Sem o amor não existiria vida...
Não haveria Inspiração para sonharmos...
Não existiria linha no Horizonte do sentimento...
Não existiria profundidade alguma sobre o céu...
Sem o amor,
Os pássaros não cantariam ao amanhecer,
o Sol não teria seu imprescindível calor...
As cores não teriam tonalidades...
Sem o amor, a verdade não seria sincera, jamais
e coração algum bateria pulsantemente.


Poesia: Se eu Pudesse Voar

SE EU PUDESSE VOAR
Se eu pudesse voar...
Sentiria a brisa suave do vento me guiando sem rumo ou direção...
Sentiria as nuvens que se discipam sobre as flores...
Sentiria a Imensidão da Profundidade
que me levaria a entender mais o Infinito...
Se eu pudesse voar...
Veria as Águias que vivem em liberdade sobre as montanhas...
Veria as Florestas ainda não consumidas pela ignorância humana...
Veria do alto as cachoeiras que caem sobre as pedras cristalinas...
E veria os pássaros que cantam esperançosos sobre as Florestas...



Poesia: Amor dos cegos

AMOR DOS CEGOS
O amor é a verdade mais comum...
Sentimento pequeno para os assassinos...
O amor é a condição mais perfeita entre duas pessoas...
O amor é a liberdade desejada pelos carentes...
o amor é a canção dos mudos e o caminho dos cegos.


Poesia: O Verdadeiro amor

O VERDADEIRO AMOR

O amor é a distinção entre uma possibilidade e a decisão...
O amor é o espaço entre a lágrima e o beijo...
O amor é a cor mais almejada pelos cegos...
O amor é a cura, a certeza para os incrédulos...
É o mistério dos carascos e a luz entre quem ama.



10 de março de 2010

Poesia: Definição de Amar

DEFINIÇÃO DE AMAR
Amar é uma modo de Inspirar-se à viver as cores intensas da vida...
Amar é uma maneira de compreender o porque do brilho das estrelas...
Amar é uma maneira de sentir a profundidade ao cair do céu e poder voar...
Amar é o que nos tras à alma o sorriso como reflexão do jubilo...



Poesia: O amor

O AMOR


O primeiro passo para viver é o amor...
O primeiro passo para a paz é amar...
O primeiro passo para a felicidade é se amar...
O primeiro passo para a perfeição é amar ao próximo,
E o primeiro passo para o amor é o passo do destino...
A existencia.