Seguidores

25 de maio de 2011

ALGO


Nesta manhã fria e solitária,
Sobre o som da chuva,
efeito dos carros,
reflito...

O amor acorda cedo do outro lado da cidade,
aonde não mais estou,
Que após esta noite de tempestades
me fez voltar as pressas,
Para estas tempestades
não mais ter que enfrentar,
para o meu próprio bem...

Algo falta.
DESTINO ABRUPTO

Tudo parece no lugar certo agora,
Quanto perco o meu desejado amor,
O tempo não perdoa minhas mágoas,
Não existe misericórdia alguma.

Confiro minha insignificancia
nestes momentos de dor,
Não possuo nada, nada tenho,
senão o vazio que se inflama,
em formatos de lágrimas,
extendidas sobre o mar,
em nome do amor...

Quão estúpido pudi ser...
Esqueci-me,
O destino é abrupto,
e consigo, a felicidade.

Sempre.